Flávia, eu já queria falar com você há bastante tempo. Não consigo mais segurar!

Não! Eu não quero terminar, pelo menos por agora. Estou com isso engasgado em mim e preciso falar.

Não me olhe assim. Vou falar e quero que escute. O problema da nossa relação é que você tem que perder peso.

Sim, esse é o problema que está afetando a nossa relação de evoluir. Você tem até um rosto bonito, mas seu corpo não está.

Quanto!? Não sei. Mas, acho que olhando assim uns 5 kgs já resolve. Quanto você acha que pesa a Flávia Alessandra?

Sabe eu gosto de transar de luz acesa e não consigo, sabe. Veja bem, poderia simplesmente te trair, mas não sou desses.

É sim!Vários amigos traem suas namoradas sem culpa E eu tô aqui te ajudando.

Ah, eu sou machista?

Esse é seu argumento, então….Minhas ex-namoradas se cuidavam. Não tô falando que você tem que ser perfeita, mas pelo menos tentar melhorar.

Eu sei que sua vida tá estressante, Flavia. Mas dá para encaixar. Estou te oferecendo ajuda. Posso sair pra caminhar com você,…às vezes.

Eu não gosto de fazer exercícios físicos, nunca precisei. Mas posso te acompanhar em umas caminhadas.

Eu sei que você treina, mas não tá dando resultado, sabe!?

Lá vem você dizer que eu falo isso porque não trabalho. Muitas mulheres trabalham, cuidam do corpo, da casa. Isso que nem filho você tem ainda.

Tem que melhorar esse seu mindset aí. Outro cara não aguenta isso, não. Deveria me agradecer por ser seu namorado e amigo também. As pessoas comentam, viu.

Ah, um monte de gente fala, sim. Mas agora não lembro quem e também não devo expor.

Eu sei que hoje é sábado à noite. Mas, a gente precisa melhorar nossa relação.

Eu sei que você queria ir naquele show, mas hoje, te digo, Flávia, é mais importante a gente definir isso.

A vida não é só diversão, Flávia. Sei que você gosta, mas por isso acho que ganhou peso. Sabe: no pain, no gain. É disso.

Não, não quero terminar. estou te dando chance. Ah, tem outros que te querem? Sei…

Quando eu namorava a Bruna ela era muito magra. Conversei com ela e aí começou a fazer academia. Mudou o corpo.

Isso, a Bruna, aquela que se cortava. Ela tomou remédios uma vez , Flavia. Não inventa história na sua cabeça.

Lá vem você com esse papo de machismo de novo. Tudo para vocês hoje em dia é “boy lixo”.

Eu me cuido. Cerveja não me faz mal como pra você. Tenho barriga por acaso?

Entenda como quiser. Muito mimimi da sua parte. Tô falando para o seu bem.

Olha tá até me fazendo mal esse papo. Esse seu vitimismo me irrita.

Afff, tô até com um nó na garganta. Eu querendo te ajudar e agora tô passando mal.

Me deu palpitação. Tô sem ar, Flávia. Estraguei meu sábado pra te ajudar e agora tô assim.

Esse branco no meu nariz? Sim, é cocaína . E daí? Parei, sim. Uso de vez em quando.

Não tô passando mal por isso. Tô mal porque você não entende minha ajuda.

Qualquer mulher ia me valorizar e você falando que sou misógino. Esse seu papinho é de mulher mal amada. Não é seu caso.

Cara, tô até suando. Não tô conseguindo respirar.

Não liga para o Samu. Sou forte, porra. Não sou igual você não. Que não aguenta nada.

Esse papo estragou meu dia. Vou vomitar.

*****

Caiu no chão. No laudo, engasgo com vômito e infarto em decorrência da overdose de cocaína.

Nem Flávia, nem a tal Bruna foram ao enterro. Não fizeram questão de ver sua cara de novo…nem morto.

Jornalista. Por aqui: crônicas, uns reviews, alguns textos sobre músicas e mais desabafos. Enfim, um lugar para escrever.

Jornalista. Por aqui: crônicas, uns reviews, alguns textos sobre músicas e mais desabafos. Enfim, um lugar para escrever.